Skip to content

Ano 3, mês 6

November 9, 2014
by

Julho, o auge do verão!

Mês do mais famoso festival de Montreal, o de jazz. Descobrimos uma ótima banda chamada Waiting Game. Uma dupla divertida chamada Garoche ta Sacoche e vimos a grande estrela do ano, Diana Krall. Nunca tinha visto a Place des Festivals tão cheia e mesmo assim o evento foi super tranquilo e bem organizado. Tirando que a Mme Krall estava mais pra lá do que pra cá, foi ótimo!

Vimos mais um show das Soeurs Boulay, fomos pra Sutton tomar banho na água gelada do rio, colhemos morangos orgânicos na Ferme Richard Roger, vimos o festival de circo e fomos conhecer a Bloc Shop, meu mais novo vício.

Além disso, pedalamos, fomos para os parques e aproveitamos os dias longos e quentes do verão! :)

915584_308157749361143_1272324404_n.jpg

Waiting Game

10488768_683523381720722_931668316_n.jpg

Diana Krall

10413024_670512796364503_1766601693_n.jpg

Les Soeurs Boulay

10540631_636871683075285_588351002_n.jpg

Água gelada de Sutton

10520305_767656523255406_799790495_n.jpg

Morangos! :)

10326600_311185365710545_659605426_n.jpg

Festival de circo

10544034_656240601118613_1582990478_n.jpg

Escalada na Bloc Shop

10488657_701422556578520_1555683379_n.jpg

Pedaladas

10488631_1442551506012853_1414899094_n.jpg

Longos dias de verão

 

Canot-camping

July 29, 2014

Desde nosso primeiro ano aqui, uma amiga nos falou sobre esse tal de canot-camping. Isso ficou na nossa cabeça e finalmente esse ano conseguimos nos planejar pra tentar essa atividade que parece ser bem popular por aqui.

Pesquisamos alguns parques e o Mont-Tremblant pareceu o mais interessantes dos que estão aqui perto de Montreal. A ideia era descer 25 km da rivière de la diable, acampando no meio do caminho. Como a gente nunca tinha feito isso e a nossa maior experiência de canoa foi remar por uma hora no Parc des Milles Îles, fomos prudentes e resolvemos fazer em 3 dias e 2 noites.

Fizemos a reserva por telefone. Nesse dia você reserva a canoa (caso não tenha) com os remos e os coletes, o ônibus e os lugares no camping. O trajeto todo tem vários lugares para acampar, mas é preciso reservar porque alguns deles cabem apenas 4 barracas. Cada área pra barraca possui uma mesa de picnic e uma “churrasqueira”. Os campings tem também um banheiro seco, um poste para pendurar a comida e um lugar compartilhado para fazer fogueira. O parque dá um saco de lenha por noite reservada, mas é a gente que carrega pro camping.

Bom, depois das reservas, veio o planejamento de equipamento. O ideal é levar só o necessário, já que tudo vai dentro da canoa e quanto mais pesada ela fica, mais chances ela tem de enroscar nas pedras (alem do peso pra ficar tirando e colocando as coisas na canoa). Barraca, saco de dormir, colchão, roupas, comida, água, kit de reparos, kit de primeiros socorros, lanternas, panelas, fogareiro, gás, talheres, taças, vinho… e assim vai. Nossa lista era longa, mas coube tudo na canoa e não esquecemos nada. Outro detalhe é que as bagagens precisam ser impermeáveis, então acabamos comprando uns sacos estanques na MEC e na Canadian Tire.

A nossa maior preocupação era saber se seria fácil remar os 25 km em 3 dias e se as corredeiras eram muito difíceis. O mapa da Sépaq classifica as corredeiras, mas ainda era muito abstrato. Foi aí que o Youtube nos salvou. Vimos um video do mesmo percurso que iríamos fazer e o casal remou tudo em 2 dias junto com o filho de uns 5 anos. Aí ficamos mais tranquilos…

Acordamos bem cedo e chegamos no parque por volta das 8h da manhã. Fomos pegar nossa canoa, remos e coletes no centro de locação. Lá, cada um carrega sua canoa e coloca no rack. Depois que todo mundo chega, o ônibus nos leva até o começo do percurso. Como bons principiantes, observamos como os outros canoístas carregavam e embarcavam as coisas e depois fizemos igual.

Partimos num dia nublado, descemos o rio calmo até chegar num grande lago. Paramos numa praia pra comer e pra dar o primeiro mergulho. Como tinha muito inseto, resolvemos voltar pra canoa e comemos nela mesmo. Pegamos algumas corredeiras super leves e chegamos no nosso camping. Acho que remamos umas 2h ou 3h tranquilamente. Depois de montar o acampamento, voltamos pro rio pra conhecer as redondezas. O camping era super bom e bem cuidado. Apesar de ser verão, a noite foi bem fria.

O segundo dia era o mais longo e prometia boas corredeiras. Remamos cerca de 5 horas até o camping no lac l’Escalier. A primeira grande corredeira deu uma certa tensão, mas o pior é que tinha um tronco que atravessava quase todo o rio e a gente só viu quando batemos nele. Ficamos enroscados e tive que descer. A água batia na altura das coxas e a correnteza me empurrava um pouco. Meu medo era empurrar a canoa, ela ir e eu ficar. Depois de algumas tentativas, consegui desenroscar da árvore e pular pra dentro sem problemas. Essa foi a única corredeira que enroscamos. O camping nesse dia era numa prainha bem bonita, de frente pro lago. Montamos a barraca e voltamos pra remar mais um pouco e conhecer todo o lago. Depois do jantar, fomos pra praia tomar um vinho ao lado da fogueira e ver o sol se pôr.

No último dia a gente não ia remar muito, mas tínhamos uma “portage” (quando você é obrigado passar por terra carregando a canoa e tudo mais) pra fazer e a maior e mais difícil corredeira do percurso. A portage foi tranquila. Levamos primeiro as bagagens e depois a canoa. A trilha tinha apenas alguns metros e não durava mais que 5 minutos. A última corredeira deveríamos descer de joelhos, pois a moça da locação de equipamentos disse que era obrigatório e mais seguro. Realmente era a mais difícil e longa de todas. Era mais técnica e tínhamos que pensar rápido pra desviar das pedras. Em alguns momentos a gente se confundiu e a canoa foi pra onde não deveria ir, mas saímos sãos e salvos e querendo repetir a descida.

No fim do percurso, o mesmo ônibus que nos levou, foi nos buscar. Devolvemos os equipamentos, pegamos o carro e voltamos pra Montreal super felizes pela nova experiência. Fomos no feriado do dia 24 de junho e o nível do rio estava alto, o que ajuda bastante. A única parte chata da viagem é que tinha muuuito inseto, mas mesmo assim a gente voltaria.

Agora já estamos pensando no proximo canot-camping! :)

Canot-camping Mont-Tremblant from Flavio Chan on Vimeo.

Preparativos

Descendo as canoas

DSC_0004

Início

DSC_0006

Canoístas

Nossa canoa

DSC_0009

Julia e as bagagens

La plage

Primeira parada

Rivière de la Diable

Le camping

La Drave, o primeiro camping

Le camping

Nossa casa

Le camping

Nosso jantar

DSC_0087

Poste anti-urso para pendurar a comida

Le matin

Le matin

Corredeiras

La rivière du Diable

\o/

\o/

Huard

Huard

Lac l'Escalier

Próximo camping

L’Estacade, o segundo camping

Vista da praia

Lac l'Escalier

Fim do dia

Pôr do sol

Lac l'Escalier

Lac l’Escalier

On pagaie

Essa não dava…

Portage

La fin

La fin

 

Ano 3, mês 5

July 17, 2014
by

Tentando cumprir a promessa de posts mensais, mas já quase estourando o prazo do 2o mês, aqui estou!

O mês de junho foi a chegada oficial do verão e do calor depois de uma primavera cinzenta. Aproveitamos pedalando e tomando muito sorvete!

Aproveitando meu tempo livre de sobra, comecei um projeto de agricultura urbana na nossa varanda, o que quer dizer que ela foi invadida por jardineiras e mais jardineiras com plantas de morango, tomate, pimentão, pimenta, pepino, vagem, rúcula, mostarda, manjericão e orégano. Ufa! Dá um certo trabalho e elas sofrem um pouco quando a gente passa o fim de semana fora, mas vale a pena! Estamos cheios de tomatinhos e alguns pimentões verdes esperando a hora de ir para a cozinha! A rúcula e a mostarda já renderam uma bela salada e o manjericão já virou um pesto cremoso! Adoro ver as plantas crescendo e ainda posso usar o nosso compost como adubo!

Fomos assistir a inauguração do orgão Pierre-Béique na Maison Symphonique de Montreal e adoramos! Com o tempo bom, começa também a temporada de bike-niques e pique-niques com os amigos. Fizemos finalmente nossas cartes Accès Montreal e agora podemos visitar o Jardin Botanique de graça!

E aí começaram os festivais: Francofolies, de música francófona, e o famoso Festival de Jazz de Montreal. Se você gosta de boa música, Junho e Julho são definitivamente os melhores meses para visitar Montreal. A cidade se transforma, fica cheia de vida, pessoas felizes pelas ruas, shows e mais shows, palcos espalhados pelo centro, sol e calor.

E para finalizar o mês e comemorar o solstício de verão, fizemos uma viagem de canot-camping no Mont-Tremblant. Desde o nosso primeiro inverno em Montreal uma amiga tinha nos falado sobre esse tipo de viagem e isso não saiu mais da nossa cabeça. Basicamente é uma viagem que você faz em uma canoa, levando tudo o que precisa e parando para acampar no caminho. A viagem foi tão boa, mas tão boa, que merece um post só pra ela! Em breve… :-)

10401822_1428002267464177_333464518_n.jpg

Primavera

10424466_540065172782611_1730692860_n.jpg

Primavera

10413269_1467926666778689_1474821504_n.jpg

Primavera dentro de casa

10424437_669799889752107_571422626_n.jpg

Sorvete

10483563_624435297634114_1809954099_n.jpg

E mais sorvete!

928564_1426286017640861_166836510_n.jpg

Buscando o pé de morango no marché Jean-Talon

10369482_488662994600584_197538229_n.jpg

O início da plantação na varanda

925546_301793906663695_3433203_n.jpg

tomates, pimentões, pepinos

1962914_774106665946458_2051471610_n.jpg

Orgue Pierre-Béique

10413790_631385870265462_1110869669_n.jpg

Maison Symphonique de Montréal

10349802_663981600344056_1527967311_n.jpg

Bike-Nique no parc René-Lévesque

10299671_1430764687187040_1297453781_n.jpg

Parc René-Lévesque

925868_517103885085010_1354265998_n.jpg

Jardin Botanique

10499062_484928478319046_1489923011_n.jpg

Jardin Botanique

923655_257518994435849_1742035823_n.jpg

Jardin Botanique

10412851_1430776993862622_495090267_n.jpg

Francofolies

10474963_524437980993384_904863397_n.jpg

Place des Festivals

10471938_644046335681814_637251578_n.jpg

On <3 Montréal

10499068_246280118898689_2055377109_n.jpg

Mais Francofolies

914743_779356975442218_710496575_n.jpg

Les Soeurs Boulay

10454002_527649247361757_137191812_n.jpg

Prévia do post sobre o canot-camping

10413878_641812682562706_949358663_n.jpg

Mais canot-camping

Ano 3, meses 3 e 4

June 19, 2014
by

Não desistimos do blog! Nem vamos desistir, ainda temos esperança que nossos netos possam ler esses textos um dia. Mas parece que estamos em uma nova frequência de atualização, agora a cada 2 meses. Vamos tentar voltar aos posts mensais…

Essa primavera foi bem chuvosa, o que é o normal por aqui. Nós é que demos sorte nas 2 primeiras primaveras e não pegamos um tempo tão cinza. Por isso, por algumas semanas, o jeito foi mesmo se reunir com os amigos, jogar e comer. Nos arriscamos em algumas receitas novas, tudo com o nobre intuito de deixar o forno ligado e manter a casa quentinha! ;-)

Aos poucos (bem aos poucos) as temperaturas foram aumentando e a neve derretendo. Nós, que não crescemos acostumados com essa mudança a cada estação, ainda ficamos bobos admirando como a natureza é espertinha. Tudo se renova na primavera. É clichê e um pouco brega falar assim, mas a gente se renova também. O sol, o calor, os passarinhos cantando alto na nossa janela, as manhãs nascendo cada dia mais cedo, as árvores que começam a brotar folhas verdinhas dos galhos secos, de um dia para o outro… tudo isso traz uma energia muito boa e a gente se sente feliz sem saber porque! Voltaram as tardes quentes nos parques, as taças de vinho no final do dia, os cafés da manhã na varanda!

Sem a neve nas ruas, voltamos a pedalar pela cidade. No começo com luva e um pouco de frio; agora já bem felizes com o ventinho que bate no rosto enquanto pedalamos. Não tem sensação melhor! <3

Ao mesmo tempo em que todos os gringos nos perguntavam se estávamos empolgados para a copa do mundo (não, não estamos), acompanhamos os playoffs do campeonato de Hockey. O time de Montreal foi muito bem, chegou à final da conferência leste, perdendo por pouco para o time de NY!

Nossa busca por uma alimentação melhor para o corpo e para o planeta continua! Assistimos ao filme Fed Up, que fala basicamente o que ninguém que ouvir: açúcar faz muito mal! A indústria alimentícia sabe disso mas, é claro, nega tudo. (Já reparou que não tem o % sugerido de açúcar nas tabelas nutricionais? É que, se tivesse, qualquer comidinha inocente mostraria de 200% para cima. E isso é feio, então eles escondem.) Interessante o paralelo que fazem com a indústria do tabaco, que há algumas décadas afirmava, sem o menor constrangimento, que fumar não era ruim em nada para a saúde… Um dia seremos seres evoluídos e conseguiremos viver sem açúcar. Por enquanto, resolvemos cortar os sucos industrializados e o cereal cheio de açúcar do nosso café da manhã: agora tomamos chá gelado e comemos granola faite maison.

No lado profissional, algumas mudanças: pedi demissão de um emprego que eu não gostava e estou de “férias” até agosto, quando começo um curso de mestrado em tempo integral. Uma mudança que não estava nos planos, mas estou feliz com ela!

Nem tudo que a gente vive está nos planos, coisas boas e coisas ruins. Passamos por algumas coisas chatas no começo desse ano – um desses momentos em que a vida te dá um chacoalhão, te vira do avesso e te deixa lá, sem saber o que fazer. Você pode se fechar e cultivar essa dor, ou usar isso como um momento de mudança, tomar decisões que normalmente não tomaria. Foi isso que fiz. Não foi fácil e ainda não sei no que vai dar, mas estou tentando!

Só temos a agradecer pela nossa vida aqui, pelos novos e bons amigos que fizemos, sem esquecer dos velhos amigos e nossa família que torcem pela gente de longe, e pelas pequenas conquistas do dia a dia. É tanta gratidão que não cabe em palavras! <3

Abril e Maio foram meses felizes!
Junho chegou com muito calor, festivais e viagens programadas!

10251419_476279095839056_1979816724_n.jpg

mudança

10175256_681379825257136_822523818_n.jpg

voltando a pedalar

1516141_378980122243677_1525466503_n.jpg

ahh, a primavera !

1527703_629560640447355_539949190_n.jpg

la neige de printemps

927261_625562654199814_1082284581_n.jpg

dias cinzas

926155_719174258146335_565751606_n.jpg

novas receitas

1743089_221681564708509_404819330_n.jpg

bouchées

914329_1432789736970411_9916615_n.jpg

tudo para o forno não esfriar…

10369338_1412513769029949_649401000_n.jpg

choco-banane-avoine

10251443_1474353932796087_810934201_n.jpg

céu azul

10251429_441520645985168_666788112_n.jpg

ainda sem folhas nas árvores…

927300_1411905195752196_59291047_n.jpg

brotando…

10246128_533624320081513_17808295_n.jpg

et voilà ! :-)

10375789_863043867044740_672977959_n.jpg

sem dúvidas de que a primavera chegou

10261036_216368278573434_280615030_n.jpg

:-)

10362344_728157627207173_108994422_n.jpg

<3

1168811_1417518708522649_693641049_n.jpg

Westmount Greenhouse

10349828_1444585362455824_785449275_n.jpg

Westmount Greenhouse

10349689_301810346662298_1596050291_n.jpg

vida de estudante (ainda) sem aulas

915559_438043872999444_1555219993_n.jpg

quase 100% orgânico e quase 100% sem açúcar!

927060_1427869100807211_485155405_n.jpg

0% orgânico e 100% açúcar, mas viva o calor !

10349699_793085830703987_223335796_n.jpg

on aime Montréal! <3 <3

Ano 3, meses 1 e 2

April 4, 2014
by

Dois meses já se passaram depois da nosso último post e podemos dizer que foram intensos. Intensos porque esse inverno foi longo e frio e todos os quebecas estavam reclamando disso. Intensos porque foram cheios de atividades.

Dizem que o primeiro inverno é uma maravilha, o segundo é bom e o terceiro você já nao quer mais saber de neve. A grande receita pra gostar do inverno é se mexer. A gente aprendeu isso desde a nossa chegada, mas dessa vez incluímos mais dois novos esportes de “glisse”: o curling e o ski de montanha. Também teve uma patinada aqui e outra lá e claro, o nosso esporte de inverno “coup de coeur”, o ski de fond.

Essa temporada fizemos uns 100km de ski de fond (pra inciantes até que está bom), sendo que os últimos 30km foram no Parc National du Mont-Tremblant. Tudo bem que foi o primeiro fim de semana de primavera, mas o clima era de inverno. Alugamos um chalé dentro do parque, no meio da floresta, do lado de um lago e com neve pra todos os lados. O parque quase não tinha ninguém, era praticamente nosso. Um silêncio e uma paz indescritível. No sábado nevou bastante (como nos filmes) e a paisagem era de tirar o fôlego. Domingo o céu ficou azulzinho e com toda aquela neve do dia anterior, foi um dia perfeito. Foi nesse fim de semana que a gente percebeu o quanto a gente gosta do inverno e que se nevasse por mais um mês, seria diversão na certa.

Além dos esportes ainda teve o festival Montréal en Lumière et a Nuit Blanche que nos rendeu uma visita gratuita ao museu Pointe-à-Callière pra ver a exposição dos Beatles e um atelier de mosaico. Aproveitamos também a promoção da STM pra visitar a torre do Parc Olympique e ter uma bela vista da cidade.

Agora a primavera chegou de verdade, a neve esta derrentendo e “on sort nos vélos”! :)

*Quem quiser ver mais fotos pode clicar aqui!

Inline image 1

 

 

Inline image 2

Inline image 3

Inline image 1

Inline image 2

Inline image 3

Inline image 9

Inline image 5

Inline image 6

Inline image 7

Inline image 8

Inline image 10

Inline image 11

Inline image 12

Inline image 13

Inline image 14

Inline image 15

Inline image 16

Inline image 17

Inline image 18

Inline image 19

Inline image 20

Inline image 21

Inline image 22

Inline image 23

Inline image 24

Inline image 25

24 meses

February 9, 2014
by

Et voilà que se passaram 2 anos!

E não tem jeito, a gente sempre para pra pensar nessa relação estranha que temos com o tempo desde que imigramos. Passou tão rápido e, ao mesmo tempo, tanta coisa já aconteceu que parece que não cabe em 24 meses. Poderiam ter se passado 10 anos!

Eu fico feliz quando encontramos alguém que já está aqui há muitos anos e que nos diz «vocês acabaram de chegar, 2 anos não é nada!». Gosto de pensar que estamos no começo da nossa nova vida, construindo as bases, que ainda temos muito o que correr atrás e muito a aprender. Às vezes me pego fazendo planos para começar tudo de novo mais uma vez: mudar de casa, de cidade, de emprego, de carreira, voltar aos estudos… Eu gosto dessa sensação de que temos um mundo de escolhas em nosso caminho, de que nada precisa ser permanente.

Com todos os dramas do primeiro ano de imigração resolvidos, 2013 foi um ano em que pudemos aproveitar o que construímos até aqui e nos enraizar um pouco mais. Já nos sentimos parte da cidade e sentimos que ela nos pertence. Conhecemos os caminhos e sabemos onde ir. Sabemos onde procurar e com quem falar. Falamos a mesma língua e conhecemos seus ciclos. Aprendemos que ela não é perfeita, mas nós também não somos – e nos aceitamos muito bem desse jeito.

Nesse ano pudemos também nos dedicar às nossas metas de crescimento pessoal. Conseguimos reduzir nosso consumo e enxergar com mais clareza que não precisamos de bens materiais para nos satisfazer. Colocamos em prática o «projeto minhoca» e não podemos imaginar como conseguíamos mandar restos de alimentos tão ricos para o lixão. Aprendemos a valorizar a produção local, mesmo se temos que pagar um pouquinho a mais por isso. Continuamos nos esforçando e tentando dar a nosso corpo e mente a atenção que eles merecem. E ainda temos muito a evoluir para sermos pessoas melhores.

O Québec é a nossa casa e é aqui que a gente se sente bem. A gente não precisou de 2 anos para descobrir isso, mas o tempo só vem confirmando. E quando temos alguma dúvida, os dias felizes – que graças a Deus, não são poucos – nos trazem as respostas que precisamos.

Que venha o terceiro ano! E que ele seja tão bom quanto os dois primeiros, com todos os desafios e aprendizados que fazem a vida valer a pena.

:-)

Inline image 1

Ano 2, meses 11 e 12

January 28, 2014
by

Esses dois últimos meses foram quentes ou “don ben hot” como dizem por aqui. Quentes porque foram intensos. Quentes porque voltamos pela primeira vez pro Brasil e a temperatura estava infernal. Quente por causa do calor humano da nossa família e dos nossos amigos.

Antes de partirmos pra terrinha, recebemos a primeira neve do inverno, fomos patinar na village do Parc Olympique e no Lac aux Castors, visitamos a instalação “Luminothérapie” na Place des Festivals e aprendemos a jogar curling. :)

Chegamos em São Paulo um pouco antes do Natal. Ficamos super felizes de ficar perto da família, encontrar os amigos, contar nossas experiências e novidades. Foi muito bom saber o que se passa com as pessoas do outro lado da linha do Equador. Aproveitamos os pais, comemos, aproveitamos os irmãos e cunhados, comemos, aproveitamos os sobrinhos, comemos, aproveitamos os amigos, comemos, comemos e comemos. A viagem foi boa por todos esses encontros (inclusive os culinários), mas foi boa também pra temos mais certeza de que agora nossa casa é aqui, mesmo que a distância deixe nossos corações mais apertados.

A volta da viagem foi um pouco caótica. As baixas temperaturas fizeram muitos vôos atrasarem e muitos outros foram cancelados. Ainda no Brasil a Julia falou “Bem que a gente podia ficar preso em Washington”… Bingo! Nosso vôo pra Montreal foi cancelado na terça e só conseguiram outro na sexta. Passamos 3 dias na capital americana, conhecemos os pontos turísticos, ficamos impressionados com os museus do Smithsonian Institute (todos gratuitos) e demos um alô pro Obama. Depois das férias estendidas, nada como chegar em casa!

Voltamos pro trabalho e pra rotina. Voltamos a ver um show das Soeurs Boulay. Voltei a pedalar (por apenas um dia) porque não tinha mais neve na cidade. Voltamos a comer cereal com leite de amêndoas. Voltamos a patinar no Lac aux Castors. Voltei a comer torrada com beurre d’érable. Voltou a nevar. Voltamos a ficar bobos com os flocos que caem. Voltamos a caminhar até o escritório com neve até os tornozelos. Voltamos a esquiar. Voltamos pra nossa vida. Voltamos pra Montreal! :)

Inline image 1

Primeira neve

Inline image 2

Primeira neve

Inline image 3

Village du Parc Olympique

Inline image 4

Lac aux Castors

Inline image 5

Patin à glace

Inline image 6

Luminothérapie

Inline image 7

Luminothérapie

Inline image 8

Curling

Inline image 9

Mudando de estação

Inline image 10

Brasil

Inline image 11

Brasil

Inline image 12

Brasil

Inline image 13

Brasil

Inline image 14

Brasil

Inline image 15

Brasil

Inline image 16

Brasil

Inline image 17

Brasil

Inline image 18

Brasil

Inline image 19

No aeroporto de Washington

Inline image 20

No aeroporto de Washington

Inline image 21

Good morning Washington!

Inline image 22

The US Capitol

Inline image 23

The Washington monument

Inline image 24

World War II memory

Inline image 25

Abraham Lincoln memorial

Inline image 26

Martin Luther King memorial

Inline image 27

National Museum of Natural History

Inline image 28

National Museum of American Indian

Inline image 29

National Air and Space Museum

Inline image 30

Montreal! :)

Inline image 31

Les Soeurs Boulay

Inline image 32

Vélo d’hiver

Inline image 33

Ski de fond

Inline image 34

Ski de fond no P’tit Train du Nord

Inline image 35

Ski de fond no Cap-Saint-Jacques

Inline image 36

Le curieux